seja bem vindo ao portal folha de piraju

Circulação: Cidades e Regiões das Comarcas de Piraju, Santa Cruz do Rio Pardo, Ipaussu e Avaré

notícias

Voltar

Prefeito Zé Maria, de Piraju recorre da sentença de assédio sexual

Postado à, 163 dias atrás | 3 minutos de leitura

Prefeito Zé Maria, de Piraju recorre da sentença de assédio sexual
O prefeito de Piraju, José Maria Costa, entrou ontem (sexta/2 de fevereiro de 2024) com recurso contra a decisão judicial que o condenou a 1 ano, 9 meses e 23 dias em regime semiaberto por assédio. O caso em questão envolveria uma ex-estagiária da prefeitura.
O recurso, um instrumento processual para impugnação ou revisão de decisões judiciais no caso da condenação do prefeito está no prazo, e é um direito de José Maria recorrer já que o processo foi julgado em segunda instância e apesar da setença proferida a mesma ainda é passível de recurso.
Em uma rede social um dia antes  o prefeito disse que se permitiu recorrer porque "tem a consciência em paz de que independente de condenação
ou não, pode andar de cabeça erguida em Piraju e em qualquer lugar do Brasil e do mundo,  porque o que vale é a minha consciência e ela está totalmente tranquila". 
Na sua rede social do Facebook ele lembrou que "para mim um processo judicial só termina quando fica provado que
você deve mesmo e que não há mais possibilidade de recorrer da decisão".
Nas considerações na rede social ele afirma que seu "único
crime nesse episódio foi, por alguns meses, não me recordo
quantos, pedir para essa moça quando ia pegar um almoço
para mim no restaurante, ou na padaria, que pegasse um para ela também.
Mas tudo bem,faria tudo novamente porque a consciência está tranquila e
O advogado vai entrar com recurso e seja o que Deus quiser. Infelizmente
a vida é assim, não estou preocupado com isso e nem envergonhado, pois o que vale é a minha consciência. Espero que no recurso essa sentença se reverta e segue a vida".
Durante seu mandato José Maria respondeu 7 processos judiciais, ganhando todos, incluindo um que ameaçava sua reeleição. "Foram sete anos levando processos, mas felizmente não perdi nenhum deles".
Segundo consta o advogado que teria orientado a mãe da estágiária no caso já teria atuado em alguns casos da prefeitura de Piraju na atual gestão graciosamente. Inclusive defendendo o prefeito numa ação. Posteriormente teria ajuizado contra a prefeitura para receber honorários, mas perdeu a ação.
O caso do assédio alegado e motivo da condenação no processo é de 2018 e só houve a ação cerca de dois anos ou mais após esse período.