seja bem vindo ao portal folha de piraju

Circulação: Cidades e Regiões das Comarcas de Piraju, Santa Cruz do Rio Pardo, Ipaussu e Avaré

Endereço: Rua Carlos de Campos 177 - Piraju/SP - CEP 18800-000

notícias

Voltar

Tirzepatida: Estudo aponta que novo medicamento reduz até 22,5% o peso de adultos com obesidade

Postado à, 19 dias atrás | 5 minutos de leitura

Tirzepatida: Estudo aponta que novo medicamento reduz até 22,5% o peso de adultos com obesidade
Sessenta e três por cento das pessoas com obesidade ou sobrepeso, que tomaram Tirzepatida 15 mg durante 72 semanas, alcançaram pelo menos 20% de redução do peso corporal. Isso é o que aponta o estudo SURMOUNT-1 realizado pelo laboratório Lilly e divulgado na última quinta-feira (28). Este é o primeiro ensaio de registro global em fase 3 para avaliar a eficácia e segurança da Tirzepatida em adultos com obesidade ou sobrepeso. Ao todo, 2.539 pessoas participaram do estudo.
 
 
A pesquisa também indica, para a estimativa de eficácia, que os participantes que tomaram Tirzepatida alcançaram reduções médias de peso de 16% (16 kg em 5 mg), 21,4% (22 kg em 10 mg) e 22,5% (24 kg em 15 mg), em comparação com placebo (2,4%, 2 kg). Além disso, 89% (5 mg) e 96% (10 mg e 15 mg) das pessoas que tomaram Tirzepatida alcançaram pelo menos 5% de redução do peso corporal em comparação com 28% daqueles que tomaram placebo.
 
 
O médico endocrinologista André Vianna afirma que os resultados apresentados com a Tirzepatida apontam o medicamento como o melhor tratamento para obesidade, quando associado à dieta e à atividade física. "Os resultados mostram uma magnitude na perda de peso nunca antes vista com nenhum outro medicamento. A Tirzepatida mostrou que no tratamento da obesidade e sobrepeso, esse medicamento tem uma potência superior a qualquer outro tratamento usado até hoje", diz Vianna.
 
 
Sobre o medicamento
 
A Tirzepatida é um agonista duplos dos receptores GLP-1/GIP que ajuda a diminuir a ingestão de alimentos e aumentar o gasto de energia, resultando em reduções de peso e que também tem maiores efeitos nos principais marcos de desregulação metabólica, como peso corporal, glicose e lipídios.
 
 
"Esse medicamento tem uma capacidade de mimetizar peptídeos e hormônios gastrointestinais e também conhecido como agonista duplo do GLP-1 e GIP, que são hormônios secretados pelo nosso sistema digestivo, e que atuam em diversas vias do nosso metabolismo e na diminuição do apetite. O potencial desse medicamento na redução de peso é maior do que todos os outros tratamentos disponíveis até o momento", explica Vianna.
 
 
A Tirzepatida está em fase 3 de desenvolvimento para adultos com obesidade ou sobrepeso com comorbidade relacionada ao peso e também está atualmente sob revisão regulatória como um tratamento para adultos com diabetes tipo 2.
 
 
Obesidade
 
A Organização Mundial da Saúde estima que até 2025, cerca de 700 milhões de pessoas tenham obesidade, caracterizada pelo índice de massa corporal (IMC) acima de 30. Dados da Vigitel 2021 divulgados em abril deste ano apontam que no conjunto das 26 capitais brasileiras e Distrito Federal, a frequência de adultos obesos foi de 22,4%. Os casos correspondentes ao excesso de peso (IMC ≥25 kg/m2) totalizam 57,2%.
 
 
A capital com maior índice é Porto Velho, com 64,4% da população com excesso de peso, e 26,4% com obesidade. Apenas na capital paranaense, 22,6% da população é obesa, e 55,3% têm excesso de peso.
 
 
O médico endocrinologista André Vianna, que também é diretor do Centro de Diabetes Curitiba, explica que a obesidade é uma doença crônica e pode ser o resultado de uma predisposição genética e alterações metabólicas. "Muitas pessoas acham que só é obeso quem come demais, mas isso é um grande mito e até um preconceito que temos na sociedade. O excesso de peso é uma doença séria, que, se não tratada, pode resultar em outras doenças associadas, como diabetes tipo 2, hipertensão, aumento do colesterol e triglicérides, acúmulo de gordura no fígado, infarto do miocárdio e AVC", afirma.
 
 
Ele também reforça que muitos pacientes não conseguem emagrecer mesmo adotando um estilo de vida mais saudável, o que reforça a importância dos tratamentos com medicamentos eficazes. "Ter uma alimentação saudável e praticar atividade física regularmente são essenciais para o controle corporal e melhora da qualidade de vida. Mas nem sempre isso é suficiente, já que a obesidade pode estar relacionada a uma predisposição genética ou alteração hormonal. Nesses casos, é recomendado o uso de medicamentos como a Tirzepatida, que promete ser o mais eficiente na redução de peso em pacientes obesos", finaliza.
 
 
A Tirzepatida ainda não está disponível nas farmácias e só deverá ser usada com prescrição e acompanhamento médico.