seja bem vindo ao portal folha de piraju

Circulação: Cidades e Regiões das Comarcas de Piraju, Santa Cruz do Rio Pardo, Ipaussu e Avaré

Endereço: Rua Carlos de Campos 177 - Piraju/SP - CEP 18800-000

notícias

Voltar

Faleceu dona Mariquinha: um diamante de zelo e perseverança

Postado à, 36 dias atrás | 3 minutos de leitura

Faleceu dona Mariquinha: um diamante de zelo e perseverança
Pessoal, hoje partiu na Paz de Jesus, dona Mariquinha Seckler Gonçalves, uma mulher que dedicou seu tempo e vida para servir à Deus, à sua família, e rezar não só por eles, mas também pelos amigos, conhecidos, desconhecidos e todos os seres de Piraju e do planeta Terra.
 
Sua trajetória de fé, como disse padre Gilberto Moreto "foi na prática", o que significa que viveu intensamente numa missão de paz, amor, compaixão, bondade, humildade, perdão, equanimidade, coragem, desprendimento, alegria, mansidão, generosidade, domínio próprio, fidelidade, paciência e tolerância, colocando em suas relações todas as bem aventuranças de quem nunca julgou ninguém por suas palavras, ações, posições, condição econômica ou tradição religiosa. 
Não me lembro de algum dia que a tenha encontrado e que ela não perguntasse pelo nome de pessoas da minha família e de amigos, e com certeza o mesmo fazia com todos aqueles que encontrava. 
A Igreja Matriz de São Sebastião era a extensão da sua casa e pode-se dizer que ela cumpriu na sua jornada neste solo bem mais que as práticas da sua religião católica, mas todos os protocolos da humanidade.
 
Muitas vezes pedi a ela e à sua irmã orações por pessoas que elas nem conheciam pessoalmente. E dona Mariquinha sempre me dizia que iria rezar sim e mostrando a caixinha de colocar a eucaristia para os acamados, me falava com os olhinhos brilhantes de serena felicidade que Jesus estava olhando por mim e por todos. E apontava o céu afirmando: “Ele cuida de nós”.
As fotos desse registro são apenas algumas das muitas lembranças que todos teremos dela sempre acompanhada de sua irmã Dinha (dona  Mafalda) ao longo dos últimos anos. 
Que as sementes que ela plantou na comunidade de Piraju de forma geral, não apenas entre os católicos, floresçam e suas auspiciosas preces e orações toquem os corações e mentes de todos que a conheceram, especialmente daqueles que ela mais amou.
Mafalta à esquerda e Mariquinha à direita. Na foto do meio elas cantarolando indo para casa pela lateral direita da Igreja.