seja bem vindo ao portal folha de piraju

Circulação: Cidades e Regiões das Comarcas de Piraju, Santa Cruz do Rio Pardo, Ipaussu e Avaré

Endereço: Rua Carlos de Campos 177 - Piraju/SP - CEP 18800-000

notícias

Voltar

Huun-Huur-Tu, o canto difônico e outras maravilhas da harmonia musical, por Luiz Rocha

Postado à, 16 dias atrás | 7 minutos de leitura

Huun-Huur-Tu, o canto difônico e outras maravilhas da harmonia musical, por Luiz Rocha
Durante os poucos e proveitosos anos em que estudo música, o Canto Difônico (ou Canto Harmônico) é sem dúvida a coisa mais impressionante que conheci. O termo pode ser definido como o canto de dois ou mais sons simultaneamente, ressaltando os harmônicos da voz através da manipulação de espaços da cavidade bucal e da musculatura laríngea. Diversos povos desenvolveram diferentes técnicas de Canto Difônico, como o grupo étnico sul-africano xhosa, os povos inuítes na América do Norte, os lamas nos mosteiros budistas tibetanos, e os mongóis e tuvanos na Ásia Central, sendo estes últimos os de maior destaque.
 
A República de Tuva é uma das divisões federativas da Rússia, um território montanhoso localizado na remota Sibéria que ao longo da história foi ocupado por vários grupos nômades, e posteriormente submetido aos domínios do Império Mongol, da Dinastia Qing e do Império Russo. Ao final da década de 10 o território foi disputado por chineses e soviéticos, e com o apoio deste último, tornou-se independente em 1921, com o nome de República Popular Tuvana, permanecendo assim até o ano de 1944, quando foi anexado pela União Soviética. Os tuvanos, povos historicamente nômades que há milhares de anos habitam a região e que compreendem 70% da população da República de Tuva, originaram a variante do Canto Harmônico que leva seu nome.
 
Acredita-se que o relevo montanhoso e a vegetação de estepe presentes na região foram fatores determinantes no desenvolvimento do Canto Difônico por parte dos povos tuvanos, pois permitem que os sons emitidos percorram grandes distâncias. Estudiosos costumam relacionar diretamente o animismo* dos povos tuvanos com o Canto Harmônico, partindo da ideia que este possa ter surgido em tentativas de imitação dos sons da natureza através da voz.
 
O Canto Difônico Tuvano se diferencia dos demais por possuir uma grande variedade de vocalizações, que são classificadas em três estilos básicos: 
 
-Sygyt, (assovio em tuvano) que consiste na emissão de uma fundamental média e de um harmônico agudo, semelhante a o de um assovio. 
 
-Kargyyra, que consiste na emissão de uma fundamental grave produzida pelas pregas vocais, e um subtom na exata metade da frequência fundamental da produzido pelas pregas facultativas. 
 
-Khoomei, que consiste na emissão de uma suave fundamental média-grave e de um harmônico entre uma e duas oitavas acima da fundamental. O termo Khoomei também é utilizado genericamente para todas as técnicas de Canto Difônico da região. 
 
A primeira escuta destes sons pode causar estranhamento para nossos ouvidos, acostumados com os padrões da música ocidental. No entanto, bastam alguns minutos para que o som toque nossa alma, nos levando a imaginar cavalos trotando pelas vastas estepes da Ásia Central. Mongóis e tuvanos são os grandes especialistas no Canto Harmônico Difônico, mantendo viva esta tradição, que em 2009 foi inscrita na lista do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO. 
 
A banda Huun-Huur-Tu, formada na República de Tuva em 1992, é um dos mais conhecidos grupos de música folclórica tuvana. Além do Canto Difônico, o grupo utiliza em suas apresentações insturmentos tradicionais da região. Nos últimos anos, o grupo passou a incorporar elementos tradicionais da música oriental às músicas folclóricas, como violões e sintetizadores. Huun-Huur-Tu fez turnê por diversos países, e gravou álbuns e shows nos Estados Unidos, no Reino Unido e na Holanda. 
 
O vídeo abaixo é a gravação completa do "Huun-Huur-Tu - Live at Fantasy Studios", produzido em 2008 na cidade de Berkeley, Califórnia. Com mais de 5 milhões de visualizações no Youtube, o vídeo é a melhor demonstração do Canto Difônico Tuvano presente na internet, além de ser uma aula sobre os diferentes estilos. Vale a pena ouvir e reouvir, ver e rever esta pérola musical, capaz de relaxar corpo e mente cansados de um longo dia de trabalho. A experiência se intensifica com o uso de headphones, pois permite que cada harmônico seja captado pelos nossos ouvidos.
 
Batzorig Vaanchig é um dos mais conhecidos artistas de música folclórica mongol. O músicos faz parte de um grupo chamado Khusugtun, mas é com vídeos nos quais canta e toca Morin khuur (instrumento de corda friccionada mongol) que o artista acumula mais de 12 milhões de visualizações em seu canal no Youtube. O vídeo abaixo é a interpretação de Batzorig Vannchig de "Chingges Khaanii Magtaal", uma canção em glória a Genghis Khan, fundador do Império Mongol. É possível que este hino seja reproduzido na região da Mongólia desde o Século XIII.
 
O Canto Difônico Tuvano é especial por si só. Uma tradição hereditária que remonta desde o povoamento da Ásia Central, e é preservada com carinho por mongóis e tuvanos. O grupo Huun-Huur-Tu e o músico Batzorig Vaanchig foram citados por serem os artistas cujo material é mais fácil de se encontrar internet, mas uma simples busca de "canto difônico tuvano" no Google apresenta diversos outros artistas que mantém viva essa tradição, seja através da música folclórica, ou incorporando elementos da música ocidental moderna. Vale a pena conhecer o Canto Difônico Tuvano, pela sua importância histórico-cultural, e pela sua sonoridade única e fantástica.